Não confunda KR com KPI

Atualizado: 3 de ago. de 2020

Nesse artigo vamos falar de outro erro muito comum cometido por times que estão implementando a metodologia OKR: confundir Key Result (KR) com Key Performance Indicator (KPI). Ambas são métricas distintas desempenhando papéis diferentes, porém de igual importância. A existência de uma não anula a outra. Elas se complementam. Vejamos as diferenças.

KEY RESULTS (KRs): São métricas de sucesso. Traduzem de forma quantitativa o cumprimento de um objetivo. Visam uma mudança de patamar. Possuem um ponto de partida (baseline) e um ponto de chegada (meta). Recomenda-se utilizar entre 2 a 5 KRs para definir o sucesso de um objetivo. Um KR deve responder a pergunta: Estamos atingindo o objetivo?

KEY PERFORMANCE INDICATORS (KPIs): São métricas de controle. Traduzem de que forma o objetivo está sendo atingido. Possuem zonas de controle com limite superior (LS) e limite inferior (LI). Não possuem meta. Não há limites para KPIs, monitora-se quantos forem necessários. Um KPI devem responder a pergunta: De que forma estamos atingindo o objetivo?


Um exemplo simples e didático para ilustrar essa diferença:

Digamos que o seu objetivo é ter mais qualidade de vida melhorando o condicionamento físico.

O contexto é que você está com sobrepeso, dormindo mal, com dores nas costas e nas articulações, está ofegante e não se sentindo feliz com o seu corpo. Diante desse cenário você e seu médico definem que você poderá reverter essa situação reduzindo seu peso de 90Kg para 75Kg e reduzindo o colesterol de 150 para 70. Para atingir esses números você decide fazer uma dieta alimentar e exercícios físicos.

OBJETIVO: Ter mais qualidade de vida melhorando o condicionamento físico.

KR1: Reduzir o peso de 90Kg para 75Kg

KR2: Reduzir o colesterol de 150 para 70.

INICIATIVAS: Dieta alimentar e exercícios físicos

Passados 6 meses


Após 6 meses você está anêmico, desnutrido e fraco. Apesar de ter perdido peso e reduzido o colesterol, você gerou um resultado não esperado. Por que isso aconteceu?

Isso ocorreu porque sua dieta foi a base de alface e você corria uma maratona por dia, com isso, indicadores que antes estavam estáveis como: hemácias, leucócitos e plaquetas foram prejudicados, o que fez com que você atingisse suas metas às custas de uma anemia e uma baixa profunda na sua imunidade.

QUAL ERRO FOI COMETIDO?

Nesse exemplo, o seu erro foi não ter definido nem monitorado métricas de controle (KPI). Você definiu apenas métricas de sucesso (KRs). Com isso, você provocou incentivos perversos executando iniciativas que, apesar de contribuírem positivamente para as métricas de sucesso (KR), impactavam de forma negativa as métricas de controle (KPI).

No ambiente empresarial esse tipo de equívoco é muito comum em empresas que querem enxugar o número de indicadores com o pressuposto de dar mais foco aos times. Isso faz com que o tempo de detecção e reação a alterações indesejadas seja lento, sendo muito prejudicial para o negócio. Portanto, use a abuse das métricas de controle (KPIs). Controle e monitore como os times estão atingindo os objetivos. Invista e desenvolva profissionais analíticos que dominem e naveguem com segurança nos dados do negócio (Porquê aprender SQL?). Promova a cultura analítica. Tome decisões com base em dados. Avalie constantemente o impacto das iniciativas nas diferentes métricas do negócio. E, por fim, lembre-se: não basta apenas bater metas, é preciso batê-las de forma saudável.

Gostou das dicas e quer aprender mais sobre a metodologia OKR?

Conheça o Guia Completo dos OKR e aprenda todos os conceitos do básico ao avançado e a como implementar a metodologia na sua empresa e na sua carreira.


2.281 visualizações0 comentário